jusbrasil.com.br
17 de Dezembro de 2018

Não caia no "golpe" do DPVAT! Informe-se

Robson Gomes Lima, Advogado
Publicado por Robson Gomes Lima
há 6 anos

É um absurdo como pessoas utilizam de subterfúgios para obter vantagem sobre outros.

O Brasil, vive numa patacoada de que bom mesmo é levar vantagem, e com esse ultrapassado e retrógrado pensamento, formamos nossos representantes políticos, médicos, advogados, policiais, fiscais, etc. Infelizmente, todos (os que assim são formados), fadados à corrupção. Nossa sociedade precisa conhecer os conceitos de ética e moral e praticá-los como estandarte pessoal.

Precisamos de todo esforço possível, para aos poucos e de uma vez por todas, mudar pelo menos a nós mesmos.

Faz algum tempo que me incomodo com a atitude de alguns, não poucos, que encontram na desinformação sobre o DPVAT, uma oportunidade de ganhar dinheiro fácil. Muitos desavisados, acreditam que, para requerer o prêmio do seguro, necessitam de terceiros. Pagam caro pelo serviço que consiste em nada mais que apenas reunir os documentos exigidos pela seguradora e ir ao balcão solicitá-lo. Muitos ousam se passar por advogados, põem adesivos em seus carros, e oferecem o serviço que, se todos soubessem ser totalmente desnecessário poucos dele se utilizariam.

A imoralidade não para por ai, as abordagens ocorrem muitas vezes de forma coerciva, nos hospitais, nos locais dos acidentes. Não é difícil encontra meia dúzia de atravessadores disfarçados em meio aos curiosos em torno de um acidentado.

Poderia falar mais, mas prefiro divulgar o que todos deveriam saber:

Acidentes cobertos

Estão cobertos acidentes de trânsito ocorridos nos últimos 3 anos, envolvendo veículo automotor de via terrestre (*), que tenham causado morte, invalidez permanente ou despesas médico-hospitalares.

(*) É aquele que tem motor próprio e roda em terra ou asfalto, ou seja, é um carro de passeio, motocicleta, caminhão, ônibus, micro-ônibus ou trator. Lembre-se: trens, bicicletas e barcos não se enquadram como veículo automotor de via terrestre.

Quem recebe e quanto

CoberturaQuem tem direito (beneficiários)Valores de indenização
Morte
Invalidez permanente
Despesas médico-hospitalares
Familiares ou herdeiros legais
Somente o próprio acidentado
Somente o próprio acidentado
R$ 13.500,00 por acidentado (1)
até R$ 13.500,00 por acidentado (2)
até R$ 2.700,00 por acidentado (3)
(1) Estes valores não são divididos entre as vítimas do mesmo acidente. São pagos individualmente
(2) O valor da indenização de invalidez permanente varia conforme a gravidade da lesão
(3) O valor do reembolso médico-hospitalar varia conforme o total de despesas comprovadas

Prazo para fazer o pedido

O prazo para fazer o pedido de indenização é de 3 anos a contar da data do acidente.

Dicas para receber mais rápido

Acompanhe de perto o andamento do seu pedido de indenização pelo Site DPVAT ou pelo SAC 0800 022 1204. Nestes canais você recebe informações seguras sobre todas as etapas de análise do pedido até o recebimento da indenização.

Como evitar o golpe do DPVAT

  • O pedido de indenização do Seguro DPVAT não deve ser entregue a terceiros. Ele deve ser aberto e acompanhado diretamente por quem tem direito à indenização.
  • Pedir, acompanhar e receber a indenização do DPVAT são serviços gratuitos. Não abra mão de parte da indenização pagando desnecessariamente comissões ou honorários a terceiros.
  • A indenização do DPVAT é liberada em até 30 dias quando o pedido é feito nos pontos de atendimento autorizados. Fique atento: pedidos feitos na justiça levam anos para ser liberados.

Continue informando-se: http://http//www.dpvatsegurodotransito.com.br/pedido-de-indenizacao.aspx

19 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A Seguradora Líder gasta milhões em propagandas em horário nobre da TV, porém no momento de indenizar as vítimas de acidente, os que realmente tem direito aos bilhões arrecadados anualmente, inicia-se o martírio, a exigência abusiva de documentos, pedem documentos já enviados, e pedem novamente.... Pra Seguradora Líder, tudo é fraude! E o acidentado, com sequela do acidente, que protocolou seu pedido de indenização, humilde e com o conhecimento de que poderia faze-lo sozinho, sem ajuda dos "atravessadores" fica meses sendo literalmente enrolado pra no final não ser indenizado, ou ainda ser indenizado com valor irrisório....
Existem milhares de vítimas que enviaram seus documentos sem "atravessadores" e não receberam. Depois ingressaram na justiça, ai sim com advogado e recebem suas indenizações, mais juros, multa e etc.... Então, nivelar os profissionais que auxiliam as vítimas por baixo, colocando todos no mesmo "saco", como sendo "atravessadores" é um tanto quanto exagerado, na minha opinião!
Como em todas as áreas profissionais, corroborando com o início de seu texto: "...pessoas utilizam de subterfúgios para obter vantagem sobre outros". Não é somente, portanto, quem atua no DPVAT que comete fraude, mas existem médicos, policiais, políticos então, nem se fala, engenheiros, professores, etc etc etc que cometem fraudes em suas áreas de atuação.... Falar de uns poucos, porém, que as cometem ou as cometeram, não significa que todos são como este!
No Brasil, é livre a iniciativa, é livre o arbítrio da vítima poder escolher se quer ir sozinho pleitear seus direitos ou se se quer contar com ajuda de alguém que conhece melhor o procedimento, assim como um cidadão pode buscar resolver seus problemas sozinho com a outra parte, ou procurar um advogado para representa-lo.
A Fraude no DPVAT se dá na falsificação de documentos, na criação de sequelas inexistentes, na confecção de Boletins de Ocorrência sem a devida prova documental de que existiu o acidente.... isso é Fraude! Deve-se separar o joio do trigo.
No mais, importante seu artigo, pois abre espaço para o contraditório!
Abraços. continuar lendo

É tão simples quanto receber aposentadoria em 30 minutos no INSS.

É fato que, para receber a indenização do DPVAT não precisa de terceiros, porem é mais fácil ser enrolado e não receber o que lhe é devido, assim como a propaganda do Governo Lula, só chegar la e se aposenta em 30 minutos.
É tudo muito bonito,simples e fácil, as propagandas nos mostram isso, mas sabemos a realidade. continuar lendo

Não acho que a prática de "despachante de Dpvat" seja tão imoral quanto o Robson apresenta.
A questão reside mais no valor do serviço cobrado, se é justo ou não.

Um Despachante de emplacamento de um carro 0km por exemplo cobra aí entre 50 e 80 reais. É um dia inteiro que ele perdeu correndo atrás de documentação.
Cobrar mais do que isso, eu, pessoalmente, passo a concordar com o autor.

Este foi o primeiro texto que li neste novo jusbrasil, e espero que todos sejam do nível deste. Bastante claro e objetivo, e especialmente, útil.
Obrigado. continuar lendo

Bem Pessoal,
acabei de ler este ótimo artigo, mas tenho alguns contra argumentos.
Primeiramente, gostaria de esclarecer EM SÍNTESE como funciona o seguro DPVAT.
Ocorrendo um acidente ao qual ocorra o sinistro, a pessoa lesionada deverá dar entrada para receber o seguro, até ai tudo bem OK.
Ocorre que, após analisado pela segurado o valor devido, a operação se completa com o pagamento quase sempre a menor.
Ou seja, quando a operação é feita sem um intermediário, um advogado por exemplo, a seguradora nem sempre paga o total devido.
Já vi casos em que um mesmo tipo de acidente, fratura no fêmur por exemplo, duas pessoas foram ressarcidas diferentemente.
Para uma foi pago a quantia de R$1.800,00 e a outra pessoa com advogado o valor de R$ 4.000,00.
É exatamente isso que a seguradora quer que nós creiamos, que diretamente é mais viável, mas é justamente o contrário, diretamente você receberá menos tendo mais lucro a seguradora.
Ou vocês acham que a seguradora vai pagar um valor absurdo de propaganda no horário nacional por semanas só porque é boazinha.
Ela faz isso para lucrar em cima do valor pago ao segurado.
Acredito que um intermediário que cobra um valor razoável com retorno para o segurado não é imoral. continuar lendo